Por que usamos embalagens?


A sua importância no mundo globalizado.
Hiper-conectividade, hiper-competição, similaridade tecnológica e globalização são palavras-chave que formam em grande parte, o painel da modernidade.

A embalagem adquiriu importância estratégica na sociedade de consumo, como veículo de publicidade, promoção de vendas e motivação do consumidor. Elemento fundamental na apresentação e conservação de produtos naturais ou industrializados, ela é qualquer invólucro ou recipiente destinado a guardar e acondicionar produtos de consumo, com o fim de colocá-los de forma segura e higiênica à disposição do consumidor.

A sociedade atual vem acelerando o processo de produção de bens e ampliando muito o acesso aos produtos por meios, cada vez mais sofisticados. Este processo vem colocando sobre a embalagem uma enorme carga de exigências que ampliam cada vez mais suas funções e o papel que ela desempenha no marketing. Deste modo, ela deve submeter-se a algumas exigências, como ser feita de material que não altere as características do produto e trazer estampadas, quando for o caso, explicações sobre a composição química do conteúdo, prazo de validade e preço.


A embalagem que consegue penetrar no lar do consumidor, no seu escritório, no seu carro, representa uma oportunidade valiosa de comunicação. Quando ela consegue se integrar com outras ações de marketing desenvolvidas pelo fabricante do produto, esta oportunidade é potencializada, pois ela é um dos elementos de que dispõe o fabricante para enfrentar a concorrência e captar a preferência do consumidor. Desse modo, além de qualidades técnicas que preservem a mercadoria, a embalagem deve ter boa apresentação estética e custo compatível com o mercado, ou seja, além de expor o produto, buscando chamar a atenção, a embalagem moderna precisa seduzir, comunicar e construir vínculos com o consumidor oferecendo “algo mais” que vai muito além da sua função original de conter e proteger o produto.


Inicialmente os materiais mais utilizados em embalagens eram couro, madeira, juta e algodão. Com a diversificação dos produtos e a necessidade de acondicionamentos mais seguros e sofisticados, passaram a ser empregados vidro, madeira compensada, chapas prensadas, papelão ondulado. O desenvolvimento da indústria petroquímica trouxe os plásticos, que substituíram muitos materiais. Polipropileno e polietileno, em filme ou fios, bem como plásticos rígidos, de grande resistência, substituíram as fibras naturais e, sobretudo a madeira, na fabricação de sacos, invólucros, caixas etc. O plástico em filme transparente é utilizado principalmente para produtos perecíveis, por permitir o exame pelo consumidor e evitar o contato manual direto. Esses plásticos são também muito usados para produtos agrícolas.


Nos países desenvolvidos, a indústria de embalagens representa um setor de grande importância econômica, que movimentam cifras elevadas em relação ao produto nacional bruto. No Brasil, que já alcançou alto nível de desempenho no que tange a técnicas mercadológicas, muitas empresas utilizam embalagens iguais às mais modernas do mundo, planejadas em departamentos especializados ou por consultores que estudam os produtos e suas características de comercialização e sugerem modificações em sua apresentação, projetam uma nova imagem e indicam o material mais adequado.


Para prover maior comodidade aos cada vez mais “sem tempo”, a indústria de embalagem vem criando novas tecnologias que permitem conservar os alimentos frescos por mais tempo como é o caso da embalagem com atmosfera modificada (ATM) que permite conservar carnes, frutas e verduras fresquinhos por mais tempo.
O enfoque sistêmico da embalagem envolve o conhecimento e análise de todas as áreas e atividades relacionadas direta ou indiretamente com o produto a ser embalado. Dentro deste quadro, o Design têm relativa importância no que diz respeito ao sistema, pois influência em diversas fases, desde o desenvolvimento, passando por etapas de produção, até chegar ao consumidor, e mais profundamente ao seu lado emocional e psicológico.

Vivemos hoje em um mundo globalizado, onde a competição acirrada é uma das regras, obrigando empresas a se diferenciarem para ganhar espaço neste mercado. A tecnologia, cada vez mais acessível e com poucas diferenças, não é mais uma vantagem competitiva. Assim, as empresas precisam procurar ferramentas que destaquem seus produtos tanto de concorrentes locais quanto internacionais. São inúmeros os exemplos de tecnologias que vêm transformando a embalagem num dos componentes de ponta da sociedade moderna. Liderando o processo de inovação, estão os pesquisadores que se dedicam estudar o consumidor e detectar suas necessidades e expectativas, pois são elas que orientam os futuros desenvolvimentos e alimentam a acirrada competição entre os diversos fabricantes de embalagens. A competição para apresentar novas soluções que encantem os consumidores e atendam suas necessidades, tem feito da indústria de embalagem um setor de inovação tecnológica por excelência, pois toda vez que uma empresa consegue uma solução de sucesso, ela obriga seus concorrentes a reagirem para acompanhá-la ou tentar superá-la. Uma das ferramentas mais utilizadas na atualidade é o Design de embalagem.


Levando-se em consideração que, para o consumidor, produto e embalagem são uma única peça, e que esta última será o primeiro contato com este consumidor no ponto de venda, o design da embalagem ganha clara importância.
 No Brasil, este fato começou a ganhar importância principalmente após a abertura do mercado para produtos estrangeiros. Imagine, no supermercado, produtos importados, com embalagens bonitas e práticas, lado a lado com produtos nacionais, em recipiente feitos para concorrer num mercado onde não havia a preocupação competitiva de se cativar clientes. Várias ações foram tomadas, dentre elas a criação de entidades e comitês para estudo e desenvolvimento do design brasileiro. Podemos destacar o Comitê Brasileiro de Design de Embalagem, ligado a ABRE (Associação Brasileira de Embalagem) e que tem, entre outros atributos, o de estreitar a comunicação entre as empresas de Design e os produtores de embalagem.

Hoje, a embalagem é a mais poderosa ferramenta de marketing para os produtos de consumo. Ela é a única mensagem que certamente estará presente no momento do encontro entre o consumidor e o produto, e seu contato com ele é prolongado.
É o canal direto de comunicação da empresa com o consumidor que faz a imagem do produto/empresa através da mesma.
Portanto, a embalagem é um fator decisivo no novo cenário competitivo e devemos extrair o máximo de seu potencial competitivo. Diante disso, cabe aos designers se prepararem profissionalmente adotando uma nova visão de seu trabalho e suas responsabilidades. Não é mais possível conceber o design de embalagem apenas pelo seu lado estético ou como “arte comercial”, é preciso compreender a dimensão complexa e a importância, cada vez maior, que a embalagem vem assumindo.

Somente com uma ampla visão que abranja os aspectos mercadológicos, comportamentais, industriais e tecnológicos, além das questões intrínsecas do desenho, o designer poderá fazer frente às novas exigências que recaem sobre seu trabalho.
 Com tudo isto, fica difícil explicar porque só agora estamos dando importância ao nosso design. Empresas de ponta, vêm investindo, cada vez mais, e não podem deixar de fazê-lo, pois são seguidas de perto por pequenos e médios concorrentes de um mundo globalizado.

A embalagem hoje é tudo isso. Desenhar embalagens vencedoras requer conhecimento multidisciplinar e a interação com os demais profissionais que atuam na cadeia produtiva. Só assim, conhecimentos de Marketing, Indústria e Tecnologia passam a ser obrigatórios para quem pretende atuar nesse ramo de atividade.

Deixe um Comentário

Current day month ye@r *