Floricultura, uma ótima opção!

O crescimento do setor de floricultura nacional teve início em 1988, quando a Cooperativa Agroindustrial Holambra, situada a 145 quilômetros de São Paulo, iniciou um programa voltado para o mercado externo. A iniciativa foi apoiada pela Holanda, maior produtor mundial de flores, que vinha enfrentando questionamentos de ambientalistas da Alemanha. A Cooperativa se transformou em uma das maiores centrais de atacado do Brasil, realizando leilões eletrônicos para a venda de flores.

O Governo do Estado de São Paulo foi pioneiro na tentativa de organizar o segmento. Em 1992, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo criou a Câmara Setorial de Flores e Plantas Ornamentais, reunindo a iniciativa privada, agentes financeiros e representantes das instituições de ensino, pesquisa e extensão do setor.
Em 1994 foi criado o Ibraflor (Instituto Brasileiro de Floricultura), organização não-governamental composta por representantes dos diversos segmentos da floricultura, como ensino, pesquisa, extensão, produção, atacado, varejo e paisagismo.

Em 2003, o Ministério da Agricultura deu mais um passo importante: criou a Câmara Setorial de Floricultura para expandir a atividade em todo o País, reunindo o setor público e o setor privado. No mesmo ano, foi criado o Programa Setorial Integrado de Exportações de Flores e Plantas Ornamentais do Brasil, visando ampliar as vendas para o exterior. Com essas ações, o setor cresceu e permanece em alta.
Apesar dos consideráveis avanços, os produtores do setor continuam a reivindicar o aperfeiçoamento de instruções normativas, leis complementares e outros mecanismos que facilitem os processos de produção, importação e exportação. Eles também ressaltam o baixo conhecimento das instituições oficiais na área de plantas ornamentais, o que dificulta a obtenção de assistência técnica.

No Brasil, atualmente, existem diversas floriculturas. Como escolher, então, o melhor local para que se possa apreciar e comprar suas flores ou arranjos florais?
Comparativamente, preços e produtos podem variar muito entre uma e outra floricultura. Existem as grandes e pequenas floriculturas, e infelizmente, as floriculturas que ainda teimam em não prezar critérios de qualidade, transparência e segurança. Sendo assim, é necessário ter alguns critérios:

  1. A floricultura deve apresentar preços justos;
  2. A matéria prima de uma floricultura, logicamente, são as flores. Portanto, estas devem obedecer rigoroso padrão de qualidade;
  3. A floricultura deve apresentar uma grande variedade de espécies e cores;
  4. O atendimento ao cliente (pré e pós venda) também é um aspecto muito importante;
  5. Todos os profissionais envolvidos na área de produção de uma floricultura devem, periodicamente, participar de cursos de atualização, workshops e palestras, para garantir o acesso às últimas técnicas e tendências;
  6. Recursos que proporcionam segurança nos negócios, principalmente nas operações via internet.

 Portanto a floricultura brasileira, sobretudo no estado de São Paulo, vem obtendo um grande crescimento e, a cada ano, está se adequando ao mercado consumidor, através da melhoria de suas tecnologias e logística.

Deixe um Comentário

Current day month ye@r *